domingo, 27 de fevereiro de 2011

ANJOS E DEMÔNIOS


Teu amor é fálico
Corta minhas entranhas
Aguça minhas façanhas
Me enche toda de manha

Dissimulado você me possui
Escorregas no meu corpo ócio
Me afogas em teus lábios ávidos
Embriago em teus beijos sóbrios

Deixo impresso em lençóis
Minha porção meretriz
Em tua boca gosto de anis
No teu cerne vou até a raiz

E você por um triz
Declamas gemidos impudico
Me ofertas carinhos fanicos
Impõe prazeres demônicos

Por teu desejo
Passo minha língua
Deixando tua carne a mingua
Percorrendo teu corpo lânguido
Provando teu néctar fluido

E noite inteira
Brinco nesse leva e traz
Usurpando tua energia voraz
Abrindo minha alma fugaz
Deleitando em tua aura sagaz

Pois sou teu anjo
E você meu satanás

Má Antunes, 27/02/2011

Um comentário:

  1. Hummm... que delícia de poema.

    Tá muito bonito seu espaço!

    Beijo, amiga!

    ResponderExcluir